Gráfica e Editora Moura Ramos: livros, revistas, embalagens, sacolas, agendas e impressos em geral.: 04 de Novembro - Dia do Inventor Google+

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

04 de Novembro - Dia do Inventor



Muita gente não sabe, mas hoje, dia 04 de Novembro é comemorado o “Dia do Inventor”. A data foi idealizada pelo inventor alemão Gerhard Muthenthaler, com o objetivo de incentivar as pessoas a terem mais ideias para um mundo melhor e claro... para relembrar os grandes inventores existentes no mundo.

Desde o início de sua existência o homem vem se superando e criando melhorias para o seu dia a dia e a sociedade. Primeiro veio o fogo, depois a roda, a linguagem escrita, falada e ano após ano uma evolução após outra. Um dos principais marcos foi a Revolução Industrial, quando James Watt inventou a máquina a vapor em 1780. Daí por diante as invenções não pararam; veio o computador, a internet, as redes sociais, máquinas de última geração, inteligência artificial. Mas o que muita gente não sabe é que algumas das invenções pioneiras, responsáveis por muitos avanços tecnológicos que temos hoje, foram criadas por brasileiros. E é justamente isto que você descobre agora.

Conheça alguma Grandes Invenções criadas por brasileiros:

Fotografia

O primeiro homem a descobrir uma forma de gravar imagens com o uso da luz não era brasileiro, mas vivia em nosso território. Morador da cidade de Campinas, interior de São Paulo, o francês Hercules Florence descobriu um método para imprimir fotos usando papel sensibilizado com nitrato de prata. O princípio fotográfico é utilizado até hoje em revelações de imagens, porém basta pesquisar em qualquer livro de história para perceber que o nome de Florence não está entre os inventores da fotografia. Isso aconteceu porque, enquanto ele desenvolvia seu trabalho em silêncio por aqui, uma pesquisa similar estava em andamento na França.

As pesquisas de Louis Daguerre e Joseph Niépce são consideradas o ponto inicial da fotografia e ambos herdaram o título de paternidade da invenção. Ao saber das conquistas da dupla francesa, Florence abandonou as suas pesquisas. Porém o papel fotográfico foi sim criado por um brasileiro. Embora cada vez menos usado, continua sendo adorado e hoje faz parte do conceito Vintage! O papel de fotografia foi inventado por Conrado Wessel, pesquisador e empresário argentino naturalizado brasileiro. Ele patenteou o papel e licenciou sua patente para a Kodak Brasil. Ficou milionário!

Identificador de Chamadas

Sabe quando o seu telefone toca e você consegue descobrir quem está ligando antes mesmo de atender a ligação? Pois é, você deveria agradecer ao mineiro Nélio Nicolai, criador do identificador de chamadas, popularmente conhecido como BINA. O aparelho, criado na década de 80, chegou a ser bem-sucedido em telefones fixos nos anos 90. Porém, Nicolai afirma que a sua tecnologia foi adaptada para os celulares sem sua autorização e, por conta disso, até hoje trava uma briga na justiça brasileira e de outros países pelos direitos autorais da invenção.

Escorredor de arroz

Agradeça à Therezinha Beatriz Alves de Andrade Zorowich por esse utensílio que não pode faltar nas cozinhas. A cirurgiã-dentista montou um protótipo em papel de alumínio e, junto com seu marido, apresentou a invenção ao dono da Trol S/A em 1959. E hoje este item é indispensável na cozinha de todo bom brasileiro e utilizado por diferentes classes e idades devido à sua praticidade e simplicidade. Já pensou ter que escorrer arroz como antigamente? Dá canseira só de pensar no trabalho.

Walkman

O pai de todos os ipods foi inventado pelo brasileiro Andreas Pavel em 1972. Porém ele só ganhou dinheiro depois de entrar com ações contra a Sony em diversos países, conseguindo uma indenização de US$ 10 milhões na época. O dinheiro rendeu, mas infelizmente a reputação da criação não ficou com o brasileiro, ainda permanece com os japoneses. Mas ainda temos o gostinho de saber que a invenção é nossa.

Coração artificial

No campo da ciência, também tivemos um destaque importante com a criação do primeiro coração artificial do mundo. O engenheiro mecânico Aron de Andrade, do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia (SP), elaborou essa salvação para os cardíacos em 2000, que é ligado ao coração natural e alimentado por um motor elétrico. Projeto que hoje é utilizado em diversas partes do planeta.

Cartão telefônico

Embora pouquíssimo utilizado nos dias de hoje, este pequeno pedaço de plástico foi inventado em 1978 pelo engenheiro Nélson Guilherme Bardini, que teve a brilhante ideia de criar um cartão telefônico feito de PVC e um circuito elétrico ligado a pequenas superfícies metálicas. Só teve funcionalidade no Brasil a partir 1992, para depois não muito tempo entrar em extinção. Só quem lembra sabe a praticidade que era! Hoje é artigo de colecionadores.

Máquina de escrever

Hoje já são praticamente peças de museu, mas antes dos computadores era comum encontrar em qualquer escritório diversos aparelhos como esses. Essa invenção também nasceu no Brasil, ainda no século XIX. O padre João Francisco de Azevedo teve a ideia de adaptar um piano de 24 teclas para que ele pudesse imprimir letras em um papel. Para mudar de linha era preciso pisar no pedal, localizado na parte de baixo do aparelho. Sem dúvida, a ideia era bastante promissora. Velho e doente, Azevedo confiou a sua invenção ao negociante George Napoleon, que dizia ter possíveis interessados em fabricá-la nos Estados Unidos. O padre nunca mais teve notícias do vendedor, mas alguns anos depois um modelo quase igual foi apresentado em solo americano por Christofer Sholes. Em seguida, a empresa Remington comprou a ideia e passou a fabricá-las em escala comercial.

Radiotransmissão

Roberto Landell de Moura foi o precursor na transferência de voz por ondas de rádio. A partir da Avenida Paulista, em São Paulo, uma mensagem dizendo “alô, alô” foi ouvida a oito quilômetros de distância em um telefone sem fio. No mesmo ano, o italino Guglielmo Marconi, considerado o pioneiro da radiotransmissão, conseguiu apenas transmitir sinais telegráficos a algumas centenas de metros. O nome de Landell de Moura só veio à tona na década de 40, quando a justiça norte-americana decidiu que Marconi não era o inventor. Apesar de não ter colhido os louros da fama em vida, hoje seu nome é citado como um dos prováveis criadores do rádio.

Painel eletrônico

Essa invenção é ideia de Carlos Eduardo Lamboglia, que criou o painel mais usado em todos os jogos de futebol televisionados. Em 1997 ele patenteou a criação e na Copa da França foi usada em todos os jogos do evento. Hoje é uma febre nos Estados Unidos, que utiliza a tecnologia em todos os campos de Futebol Americano para os jogos da NFL e também nos eventos da NBA, liga americana de Basquete.

Copo americano

Esse copinho de vidro que vemos em vários botecos e que é desejado por todo bom e velho cervejeiro, foi inventado pelo designer Nadir Figueiredo no ano de 1947. Apesar do nome, de americano não tem nada: ele só começou a fazer sucesso por nos Estados Unidos, 10 anos depois de seu lançamento em terras tupiniquins.

Avião

E claro que não podemos deixar de fora da lista ele que é tido como o pai da Aviação. Ao menos no Brasil e na Europa, Santos Dumont é respeitado e reconhecido por este título. Em 2005, quando foi comemorado o centenário do primeiro voo do 14 Bis, Dumont recebeu diversas homenagens no país e até mesmo na Europa. Mas ainda assim sua invenção é bastante injustiçada. A paternidade da aviação ainda é um assunto polêmico, ao menos para os norte-americanos. Segundo eles, os verdadeiros criadores da aviação seriam os irmãos Orville e Willbur Wright que em 1903, dois anos antes do primeiro voo de Dumont, voaram com o Flyer I. A diferença é que enquanto o voo dos americanos contou com uma catapulta para colocar o aparelho no ar, o voo do brasileiro subiu impulsionado apenas por um motor a combustão.

Em resumo: na prática, a aviação como existe hoje, pode ser considerada obra de Santos Dumont, mas os primeiros a voarem, ainda que com auxílio, foram os norte-americanos. E aí, quem pode ser considerado de fato o pai da aviação? Vale ressaltar também que Santos Dumont é o inventor do relógio de pulso, hoje relançado como Smartwatch.