Gráfica e Editora Moura Ramos: livros, revistas, embalagens, sacolas, agendas e impressos em geral.: Cuidado com intoxicação alimentar na praia Google+

sábado, 26 de novembro de 2016

Cuidado com intoxicação alimentar na praia



Nem sempre é dia de falar em design e principalmente nestes finais de semana ensolarados e excelentes para irmos à praia. Pensando nisto, hoje daremos algumas dicas do Vila Mulher (por Jessica Moraes) sobre cuidados na sua alimentação quando for curtir estes momentos de descontração com sua família e amigos. Durante o verão os casos de intoxicação alimentar aumentam e lotam os pronto-socorros de todo o país. O Dr. Bactéria, pseudônimo do famoso biomédico Roberto Martins Figueiredo, ensina como matar a fome e a sede na praia sem colocar a saúde em risco. Confira! 

Espetinho de camarão - É necessário observar suas características enquanto ainda está cru. "A casca deve sair inteira, sem grudar. Não deve haver pontos pretos no ponto de inserção das patinhas com o corpo do camarão e a cauda deve aguentar uma leve pressão", explica Dr. Bactéria, que desaconselha o consumo do espetinho de camarão já frito.

Queijo coalho - Também entra na lista dos alimentos que é bom evitar, pois sua produção se dá com leite não pasteurizado. "Isto é, com leite cru", alerta Dr. Bactéria.

Raspadinha - É a campeã do risco, principalmente para a criançada, que ama se refrescar com essa mistura de gelo e xarope. "A grande maioria das raspadinhas vendidas por ambulantes é feita com gelo produzido com água não potável", explica o especialista. Também é bom evitar sucos e batidas feitos com gelo em barra.

Milho cozido - Não oferece riscos desde que totalmente imerso em água e soltando vapor. Também é melhor comer diretamente da espiga, evitando que o ambulante debulhe o milho e o sirva em pratinhos plásticos.

Pastéis - Antes de serem fritos, devem ser armazenados em caixas térmicas limpas. O óleo precisa ser novo.

Sanduíches naturais - Desde que feitos no mesmo dia, sem maionese caseira (que estraga mais fácil) e mantidos em caixas térmicas higienizadas, com gelo ou outro doador de frio, podem ser consumidos. Mas a temperatura das caixas térmicas deve ser suficiente para manter o produto em torno de 5 graus.

Bebidas de vendedores ambulantes - Podendo ficar em caixas de isopor com água e gelo contaminados, devem ser consumidas com atenção. "Sempre passe a embalagem das bebidas em água corrente. Depois, limpe a lata ou a garrafa com um guardanapo descartável". Em se tratando de sucos, refrigerantes e água de coco, Dr. Bactéria lembra que só podem ser usados canudos embalados individualmente. Após o consumo, dê um nó no canudo para evitar reuso indevido.

Fonte: Vila Mulher