Gráfica e Editora Moura Ramos: livros, revistas, embalagens, sacolas, agendas e impressos em geral.: Anonymous derruba site de presidente do Senado Google+

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Anonymous derruba site de presidente do Senado

O Anonymous não deixa barato. O grupo militante digital já colocou na sua mira o novo presidente do Senado, Eunicio Oliveira (PMDB-CE), derrubando o site do político nesta quinta-feira (02). O grupo assumiu a autoria do ciberataque, apontando que ele foi a sua forma de "prestigiar" a nomeação de Oliveira ao novo cargo.

Com a aprovação do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), Eunício Oliveira (PMDB-CE) foi o nome escolhido pela legenda peemedebista para assumir o comando do Senado.

"Aqui vai nossa pequenas homenagem ao mais novo corrupto, presidente dos corruptos", afirmou o Anonymous em sua página no Facebook.


O Anonymous está com um começo de ano movimentado. O ataque do grupo hacker ao site do novo presidente do Senado se junta a outras façanhas como a divulgação de dados do Ministro de Ciência, Tecnologia e Inovações, Gilberto Kassab. Por conta de nova polêmica sobre a imposição de limitação nos pacotes de banda larga fixa, o grupo vazou informações do ministro como número de telefone, CPF, nascimento, endereço, participações societárias e muito mais. 

Todos os telefones fixos relacionados ao político também foram expostos, bem como os nomes de seus familiares próximos. O ataque também atingiu a Anatel, com nomes dos bancos de dados disponíveis publicados. No exterior, o grupo também se fez presente ao colocar na mira o novo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

O grupo ativista digital, que declarou "guerra total" a Trump no ano passado, ainda durante a sua campanha, fez no início de janeiro um chamado aberto para os seus seguidores, pedindo para que revelem toda sorte de informação sobre o presidente eleito, em busca de dados que possam comprometer sua posição como presidente.

A ameaça foi finalizada com um recado mais do que direto para Donald Trump. 

"Você vai se arrepender dos próximos quatro anos", disparou o Anonymous.