Gráfica e Editora Moura Ramos: livros, revistas, embalagens, sacolas, agendas e impressos em geral. Google+

terça-feira, 24 de abril de 2018

Maravilhe-se com Blackboard Adventures – Creative Baby Portraits por Anna Eftimie


Desde que Anna Eftimie abriu as portas de sua pequena empresa, Cute Moments Photography, em San Jose, Califórnia, seu negócio cresceu e foi destaque em publicações por todo o mundo.

Parte de seu sucesso está enraizada na conexão emocional que ela compartilha com seus clientes. Seu trabalho é voltado para famílias, bebês e crianças, uma audiência que ela ama desde que era jovem. Na verdade, quando ela tinha cinco anos de idade, sua mãe disse a ela que um dia cuidaria de sua própria creche. 

"Isso é o quanto eu amava bebês, mesmo naquela época", diz ela.

Mesmo durante seu “tempo livre”, Anna gosta de fotografar pessoas, especialmente bebês e crianças. "Eu adoro o poder de se expressar livremente", diz ela.

Apesar de não ter fotografado até mais tarde, sempre teve uma afinidade com beleza e belas imagens. Seu marido, reconhecendo seu talento, convenceu-a a fazer algo sério sobre isso. Este apoio, combinado com seu amor por bebês e belos momentos, finalmente a levou a se tornar uma fotógrafa de retratos.

Muitos do trabalhos de Anna são criativos, mas ficamos especialmente impressionados com a série “Blackboard Adventures”.

Para o blog Photography e origem desta postagem, a autora Stephanie Kay-Kok fez perguntas sobre o processo criativo por trás dessa série original.


Como você cria idéias criativas para retratos? Quais são suas fontes de inspiração?

Eu amo a incrível imaginação das crianças! Não tem limites. As fronteiras do que é possível e do que não é possível ainda não estão definidas em suas mentes. Esta é a minha principal fonte de inspiração: estou tentando visualizar o que eles poderiam imaginar ou sonhar e criar essas imagens na minha fotografia.

Mas tudo começou com o nascimento do meu filho, nosso segundo filho. Enquanto eu estava grávida, estávamos procurando uma forma especial de apresentá-lo à nossa família, que está de volta à Europa. Eu procurei por todas as ideias dos recém-nascidos e encontrei alguns realmente fofos, mas nenhum deles foi o "uau, é isso!"

Meu marido e eu crescemos na Europa cercados pelo mito da cegonha que está entregando o bebê. De alguma forma, continuamos voltando a essa ideia, mas não sabendo como incorporá-la nas fotos. Até que um dia, quando meu marido teve a ideia de desenhar a cegonha em um quadro negro com giz, como na escola. Eu disse a ele que se ele pudesse fazer o desenho, eu tiraria a foto e faria a composição.

Nossa família e amigos adoraram tanto a imagem que começaram a pedir mais e mais imagens. E é assim que “Blackboard Adventures” nasceu.

Como você escolhe cenas para cada retrato de “Blackboard Adventures”? Os pais geralmente têm uma ideia do que querem ou você sugere uma cena? 
No começo, essa série era para o nosso filho e não estávamos pensando em fazer isso para os outros. Levou uma jovem mãe para me ligar e me convencer de que ela era louca por essa idéia e que ela queria para sua filha. Seu marido teve a ideia: a menina prometia se tornar presidente dos EUA.

As portas estavam abertas, então mais e mais pais começaram a se apaixonar pelas opções ilimitadas que o Blackboard oferecia.

Às vezes os pais têm uma certa ideia para uma imagem em sua mente (como um tema de São Francisco) e às vezes nos é dada total liberdade para criar qualquer coisa que gostaríamos para seu bebê.


As fotos da “Blackboard Adventures” são mais difíceis do que as sessões de fotos normais? Eles demoram mais enquanto você espera pela pose certa?
 
Eram, no começo, porque esperávamos que os bebês estivessem profundamente adormecidos. Até que um dia, quando um bebê de oito meses se recusou a dormir por três horas inteiras, não pudemos posicioná-lo como queríamos. Então, desesperadamente, nós demos uma chance e descobrimos que as imagens do quadro-negro com bebês acordados são ainda mais divertidas.


Qual retrato de “Blackboard Adventures” é o seu favorito e por quê? 

Isso é difícil de responder. Eu tenho a sensação de que cada um dos Blackboards tem sua própria aventura por trás da cena: a maneira como surgiu a ideia, como fomos capazes de encontrar os acessórios e equipamentos certos, todo o trabalho em torno dela.

Na minha casa eu tenho uma tela com meu filho andando de skate e pulando sobre seus amigos peludos. Os trabalhos para isto começaram durante um dia chuvoso de inverno quando nossa filha mais velha estava andando ao redor da casa no skate dela (o mesmo que nós usamos na imagem). Eu pensei - por que não dar a seu irmãozinho de 3 semanas a chance de montar também?

Sua irmã ficou encantada em compartilhar seu skate com ele. Eu acho que esta foi a primeira vez que ela aceitou de bom grado dar algo para seu irmão, e foi aí que um belo relacionamento começou entre os dois. Então, essa imagem tem um significado especial para nós. E não posso dizer como fiquei feliz quando esta imagem em particular nos trouxe nosso primeiro prêmio profissional de fotografia.


Qual foi a coisa mais importante que você aprendeu sobre fotografia até agora? 

Que o aprendizado nunca acaba. Quando você finalmente dominar alguma coisa, encontrará outra coisa para se desafiar. As pessoas olham para mim de forma estranha quando admito que ainda estou tendo aulas de fotografia e que ainda leio livros e assisto a seminários on-line.

Eu sei que ainda estou no começo e tenho muito a aprender e praticar. Tenho a sensação de que estarei aprendendo coisas novas pelos próximos 30 anos a partir de agora. Caso contrário, as coisas ficarão chatas e chatas.

Ah, e aprendi outra coisa: como fotógrafo, você mal terá algumas fotos suas. Eu acho que a história sobre o sapateiro que não tem sapatos é uma história verdadeira.

Para ver mais “Blackboard Adventures” e outros retratos de Anna, visite seu site ou página no Facebook.

segunda-feira, 23 de abril de 2018

Entenda a diferença entre PANTONE C e PANTONE U


Você já ouviu falar em PANTONE C e PANTONE U? Acredite se quiser, mas essas duas letrinhas podem fazer toda a diferença no seu projeto gráfico. Saiba a diferença entre elas e como aplicar corretamente as cores em seu layout.

Você alguma vez já teve a chance de fazer um projeto gráfico utilizando uma cor especial? Se sim, sabe o quanto pode ser prazeroso escolher a cor na escala de cores da PANTONE. Entre centenas de tintas maravilhosas, incluindo neon e metálicas, existem códigos muito estranhos de cor e duas letrinhas que podem fazer toda a diferença no resultado do seu projeto: a letra U e a letra C no catálogo de cores PANTONE.


O grande culpado nisso é o papel

O processo começa com a escolha do suporte onde sua tinta será impressa, ou seja, o objeto em que será feita a impressão. O comportamento da cor muda muito dependendo dos tipos de papel, tecidos ou plásticos (ainda que a tinta seja a mesma).

Por exemplo, se você escolher um vermelho e aplicar o mesmo pigmento sobre um papel fosco e poroso, a forma de absorção da tinta pelo papel acontecerá de forma diferente do que dela aplicada sobre um papel mais liso. Veja a diferença dos mesmos códigos de azul quando aplicados sobre uma superfície de classificação C e em um outro papel de classificação U:


Essa escolha da superfície faz tanta diferença que a PANTONE criou um color guides (guias de cor) para designers gráficos que trabalham com papéis, para aqueles que trabalham com indústria têxtil, para aplicações em superfícies plásticas, embalagens e até um guia de tons de pele para a indústria de cosméticos.

O que essas letras significam?

Falando em papéis, existe um processo chamado de revestimento, que é uma combinação química que faz com que o papel produzido saia já de fábrica com uma espécie de camada protetora por cima da folha, ou simplesmente uma espécie de verniz nele.

Apesar de não ter nada de verniz, a sensação é de que o papel tem um camada especial, o que faz dele um papel revestido, ou em inglês, coated, o que explica o uso da letra C no guia da PANTONE.

Já o papel que não passou por este processo especial de revestimento, é chamado uncoated, ou “não revestido”, por isso é utilizado a letra U no código PMS de cor (Pantone Matching System).


Um exemplo fácil para entender o que é um papel coated e uncoated é pensar no favorito dos designers: o papel Couché. Ele nada mais é do que um papel Offset, só que passado por um processo químico especial que faz com que ele ganhe um revestimento, dando a ele uma textura ainda mais lisa, brilhosa ou matte.

O revestimento faz com que as cores fiquem mais “vivas”, pois o pigmento da tinta seca sobre o revestimento e não sofre tanto com a absorção pelas fibras do papel, como acontece com o uncoated.


Como aplicar isso no meu trabalho?

Muitos designers ficam em dúvida de como isso afeta, por exemplo, um manual de identidade visual. Em alguns casos em que a mudança do comportamento da cor é muito forte, você pode indicar um código PMS C para papéis revestidos e outro PMS U para papéis não revestidos, desse modo mesmo que as tintas sejam diferentes, o resultado da visualização da cor será parecido.

Isso não acontece somente com tintas especiais da PANTONE, mas com qualquer pigmento transparente, ou seja, qualquer uma das cores primárias do nosso sistema CMYK de impressão, então é importante sempre estar de olho nesse detalhe caso trabalhe com um projeto impresso. Observe esse exemplo de como as cores mudam de acordo com o papel:


É claro que esse é um assunto extenso, mas essas foram algumas dicas básicas para te ajudar em seus projetos com impressos.


domingo, 22 de abril de 2018

Redesigns da marca Volkswagen


A Volkswagen anunciou que está planejando ajustar redesenhar sua marca, pela primeira vez desde 2012, como forma de preparação para a era do carro elétrico, de modo que eles consigam limpar a imagem manchada que possuem pelo escândalo do diesel.

O novo logo só será revelado no ano que vem, dando tempo para a montadora fazer o lançamento de alguns modelos de veículos elétricos, conforme disse Jochen Sengpiehl, diretor de marketing da marca, em uma coletiva de imprensa em Berlim.

A ideia é que a nova identidade visual funcione bem tanto na frente dos carros quanto em telas de smartphones. O emblema da VW foi modificado pela última vez há seis anos com um visual mais tridimensional, mudando apenas alguns poucos detalhes desde a ressurreição da fabricante após a Segunda Guerra Mundial.

“A marca não está em boa forma em comparação com os anos anteriores.“

A marca perdeu um pouco do seu apelo emocional ao tentar ser “muito alemã”, disse Sengpiehl.

A VW também expandirá o uso de mídia digital e social para ajustar melhor seu marketing, especialmente ao tentar convencer os consumidores céticos a mudar para veículos movidos a bateria. Dar à marca uma imagem mais nova é fundamental para compensar o investimento de 20 bilhões de euros em carros elétricos.

O objetivo é tornar a marca mais acessível e menos rígida, além de destacar as inovações como justificativa para preços mais altos. Segundo Sengpiehl, que voltou à Volkswagen em setembro depois de um período com a rival Hyundai Motor Co. eles estão convidando as agências de comunicação e publicidade para promover seus negócios criativos e apresentar ideias nos próximos meses.

A empresa planeja criar centros de marketing em suas principais regiões, capazes de adaptar as mensagens e reagir mais rapidamente às mudanças.

A gigante automobilística de 12 marcas está tentando ultrapassar a crise do diesel sob o comando do novo presidente-executivo Herbert Diess, que assumiu o comando recentemente e continuará a supervisionar a VW, a maior unidade do grupo em vendas. A marca será o ponto focal do impulso de carros elétricos da empresa.

“O grande desafio é: como colocamos as pessoas no mundo elétrico. Queremos que as pessoas se divirtam conosco. Precisamos ficar mais coloridos“.


sábado, 21 de abril de 2018

Filhos de pais da inovação criados sem tecnologia


Foto: Reprodução

Psicólogo comenta sobre dar limites à tecnologia dos filhos com base em estudos reveladores. Seria a decisão dos ícones da tecnologia um sinal?
Bill Gates e Steve Jobs são sem dúvidas duas das maiores figuras tecnológicas da história recente. Eles ajudaram a criar produtos que hoje, uma grande parte da humanidade simplesmente não sabe viver sem - sistema operacional Windows e produtos da Apple são alguns dos exemplos. 

É comum vermos crianças mexendo perfeitamente em tablets e smartphones e quando pensamos nos filhos desses dois ícones logo imaginamos crianças extremamente conectadas e high-tech, certo? Errado! Ao contrário do que muitos pensam, eles limitavam a tecnologia dos filhos justamente por saber do poder viciante de seus produtos. Seria um sinal?

Em 2007, Bill Gates, antigo CEO da Microsoft, implementou um limite de tempo de uso de tecnologias digitais quando sua filha começou a desenvolver um vício por um vídeo game.

Ele também não deixa que seus filhos tenham telefones celulares até completarem 14 anos (hoje, a idade média para uma criança obter seu primeiro celular é de 10 anos)

Steve Jobs, que foi CEO da Apple até sua morte em 2012, revelou em uma entrevista ao New York Times em 2011 que havia proibido seus filhos de usarem o recém-lançado iPad.

“Nós limitamos a quantidade de tecnologia que nossos filhos usam em casa”, contou Jobs ao repórter Nick Bilton.

É interessante pensar que, em uma escola moderna, onde as crianças são obrigadas a usar dispositivos eletrônicos como iPads, as crianças de Steve Jobs seriam algumas das únicas crianças que optariam por não usá-los.

Os filhos de Jobs já terminaram a escola, por isso é impossível saber como o cofundador da Apple reagiria à tecnologia na educação, também conhecida como “edtech”.

Tecnologia e desenvolvimento infantil

Foto: Reprodução

Não é segredo que a tecnologia interfere no desenvolvimento infantil. Um estudo da Faculdade de Educação (FE) da Unicamp, em Campinas (SP), concluiu que as crianças que usam aparelhos eletrônicos sem controle e não brincam, ou brincam pouco, no "mundo real" podem ter atraso no desenvolvimento.Para a pedagoga Ana Lúcia Pinto de Camargo Meneghel, que desenvolveu o estudo na FE , as crianças acabam não brincando e nem tendo uma rotina, o que afeta no ritmo de construção do desenvolvimento cognitivo.

Além disso, outras pesquisas descobriram que o risco de depressão em alunos da oitava série sobe para 27% quando fazem o uso frequente de mídias sociais, além de constatarem, que crianças que usam seus telefones por pelo menos três horas por dia são muito mais propensas a se suicidarem. 

De acordo com o psicoterapeuta Psicoterapeuta Thiago Santos (CRP 06/135695), é importante que os pais limitem a internet dos filhos. "Muitos pais acham quando os filhos não estão na rua, mas estão dentro de casa fechados, estao seguros, mas isso nem sempre é verdade. Trancados no quarto com acesso a internet as crianças podem estar acessando diferentes lugares do mundo, interagindo com diversas pessoas. É mto importante que a criança seja bem orientada sobre o uso da internet, sobre o que deve ou não acessar e por que, assim como é importante que os pais saibam o que os filhos estão acessando", explica.

Ainda segundo o profissional para que uma criança se desenvolva de maneira saudável, é preciso diferentes tipos de experiências, tais como interações sociais, brincadeiras, atividades físicas e artísticas, leituras, entre outros. "Existe muitas coisa boa na internet, como aplicativos educativos e sites culturais, então a Edtech pode ser um instrumento bom e importante", pontua.

Edtech: a educação tecnológica

Foto: Reprodução

Desde que Bill Gates implementou sua política doméstica, o filantropo bilionário tem tido grande interesse na educação personalizada, uma abordagem que usa dispositivos eletrônicos para ajudar a adaptar o ensino para cada aluno.

Em uma postagem recente em seu blog, Bill Gates aclamou Summit Sierra, uma escolha de Seattle que leva em consideração os objetivos pessoais dos alunos — como entrar em uma universidade, por exemplo — e planeja um caminho para chegar lá.

Os professores usam configurações de aprendizagem personalizadas e assumem mais um papel de treinador, ajudando e empurrando os alunos de volta aos trilhos quando eles ficam presos ou distraídos.

A tecnologia nesses casos está sendo usada da forma mais específica possível — e de forma que a Gates reconheça como útil para o desenvolvimento de um aluno, e não como entretenimento.

“A aprendizagem personalizada não será uma cura para tudo”, escreveu ele.

Mas Gates disse que está “esperançoso para que essa abordagem educacional possa ajudar muitos mais jovens a aproveitar ao máximo seus talentos”.

E você, o que acha de dar limites à tecnologia de seus filhos?


sexta-feira, 20 de abril de 2018

A faixa de pedestre perfeita que deveria existir no Brasil


Na pequena cidade pesqueira de Ísafjörður, na Islândia, um empolgante desenvolvimento em segurança no trânsito acaba de surgir. Uma nova passagem para pedestres foi pintada e parece ser 3D por meio de uma ilusão de ótica inteligentemente detalhada.

O design inovador não apenas dá aos pedestres a sensação de andar no ar, mas também chama a atenção dos motoristas, que certamente diminuirão a velocidade quando detectarem as faixas aparentemente flutuantes. O Comissário ambiental islandês Ralf Trylla pediu a sua colocação em Ísafjörður depois de ver um projeto similar sendo realizado em Nova Delhi, na Índia. Com a ajuda da empresa de pintura de rua Vegmálun GÍH, sua visão tornou-se realidade.

Veja esse incrível projeto, já pensou se a moda pega?

Tudo começou quando Ralf teve a ideia…


… Após ver um projeto quase similar sendo realizado na Índia…


… O efeito da ilusão de ótica faz parecer que as faixas flutuam…


… E isso fará os automóveis reduzirem a velocidade…


… Tudo em prol de um trânsito consciente!



quinta-feira, 19 de abril de 2018

7 Incríveis brinquedos de madeira para o seu filho


FOTO: ISTOCK

Os brinquedos fazem parte da vida das crianças, proporcionam descobertas, incentivam a imaginação e ajudam no desenvolvimento da percepção e das habilidades motoras.

Se você é mãe, tia ou avó, vai se encantar com essas marcas que produzem brinquedos de madeira. É um mais lindo e divertido que o outro!

FOTO: REPRODUÇÃO / ATELIÊ MATERNO

“Uma pequena fábrica de brinquedos de madeira formada por mães empreendedoras.” É assim que as sócias Carol Moreira e Bruna Chervezan descrevem seu negócio. Elas fundaram o Ateliê Materno em agosto de 2015 e até hoje distribuem doçura e amor por meio de cada brinquedo que criam.

Onde comprar: 

As vendas são feitas somente pela loja online do Ateliê Materno.

FOTO: REPRODUÇÃO / GÊNIOS BRINQUEDOS EDUCATIVOS

A Gênios procura criar brinquedos educativos de alta qualidade e que potencializem o desenvolvimento social e pedagógico dos pequenos. A variedade dos brinquedos é bem grande e não faltam cores e bom gosto!

Onde comprar:

As vendas são feitas somente pela loja online da Gênios.

FOTO: REPRODUÇÃO / BRINQUEDOS DA VILA

A HERGG busca promover a integração familiar, o compromisso social e a harmonia com o meio ambiente. Todos os brinquedos são feitos com madeira legalizada e pintados com tinta atóxica. É só tirar da caixa e imaginar!

Onde comprar:


FOTO: REPRODUÇÃO / CARLU BRINQUEDOS

A Carlu é uma indústria de brinquedos educativos e pedagógicos, de Toledo (PR), dirigida pela professora, Carmen Ost. A ideia é que os brinquedos e jogos desenvolvam habilidades como linguagem, raciocínio lógico, leitura e escrita. Além da madeira, também produzem produtos em feltro, MDF e EVA.

Onde comprar:


5. Hape
FOTO: REPRODUÇÃO / HAPE

Hape é uma empresa alemã que produz e distribui brinquedos feitos de materiais sustentáveis, incluindo a madeira. Com vendas em mais de 50 países, eles acreditam que nem a cultura, nem o idioma, nem o gênero podem inibir o processo natural e intuitivo que é brincar.

Onde comprar:


FOTO: REPRODUÇÃO / KITOPEQ

Os brinquedos da Kitopeq são 100% feitos de madeira de reflorestamento, resultando em peças leves, seguras e de fácil manipulação pelas crianças. O desejo da marca é resgatar a maneira natural de brincar: com simplicidade.

Onde comprar:


FOTO: REPRODUÇÃO / TRICAE

A New Art começou como uma fábrica de massageadores em madeira, em 1998. Entraram para o mercado dos brinquedos em 2006, a fim de criar peças mais criativas e saudáveis para as crianças.

Onde comprar:


Opções não faltam! Agora é só começar a passear pelas lojas e encontrar o brinquedo certo para a sua criança!

FOTO: ISTOCK

Por que brinquedos de madeira são uma ótima ideia?
  • A madeira é um material natural e não-tóxico;
  • Os brinquedos são resistentes;
  • São menos perigosos;
  • São ecologicamente corretos;
  • Podem agradar diferentes idades;
  • Estimulam a criatividade;
Convencido(a) a apostar em brinquedos de madeira para seu pequeno ou sua pequena? Até você vai querer brincar!


quarta-feira, 18 de abril de 2018

Todo Mundo Odeia o Chris de volta em Campanha do McDonald´s


Somos conhecidos mundialmente por levarmos tudo na brincadeira quando assunto é internet. Seja na política, futebol ou religião, pode ter certeza que sempre existirá um violinista do Titanic fazendo alguma brincadeira.

Com Tyler James não poderia ter sido diferente. O ator ficou famoso por interpretar o Chris, na série Todo Mundo Odeia o Chris. Porém, anos se passaram e nós brasileiros, ainda lembramos com carinho do personagem que inventou inúmeros bordões e memes usados até hoje.

O McDonald’s decidiu aproveitar o carinha que mora logo ali para contar que a franquia agora conta com refil de refrigerante. Confira o vídeo:

terça-feira, 17 de abril de 2018

Imposto de Renda 2018: prazo para entrega da declaração termina neste dia 30


Prestação de contas é obrigatória para quem recebeu mais de R$ 28.559,70 em 2017 e multa por descumprimento é de no mínimo R$ 165,74.

A Receita Federal começa a receber a partir das 8h desta quinta-feira (1º) as declarações do Imposto de Renda 2018, ano base 2017. O programa gerador já pode ser baixado no site da Receita. Se preferir, o contribuinte pode prestar contas por meio de aplicativos em tablets e smartphones. O prazo para entrega termina em 30 de abril.

O supervisor nacional do Imposto de Renda do Fisco, Joaquim Adir, recomendou que os contribuintes tenham cuidado ao fazer a declaração. Outra dica é reunir primeiro os documentos necessários, para depois preencher o documento.

"E não deixar para os últimos dias, porque as dúvidas aparecem quando a gente vai começar a fazer. Só aí o contribuinte percebe os documentos que estão faltando", disse Adir.

A expectativa da Receita é de receber 28,8 milhões de declarações neste ano, 340 mil a mais do que o registrado no ano passado (28,5 milhões).

O contribuinte que não fizer a declaração ou entregá-la fora do prazo fica sujeito ao pagamento de multa de, no mínimo, R$ 165,74. O valor máximo, correspondente a 20% do imposto devido.

As empresas tiveram prazo estipulado até o dia 28 de março para entregar aos seus funcionários o comprovante de rendimentos do ano passado – documento necessário para fazer a declaração do Imposto de Renda de 2018.

Quem deve declarar?

Deve declarar o IR neste ano quem recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2017. O valor é o mesmo da declaração do IR do ano passado.

Também deve declarar:
  • Contribuintes que receberam rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40 mil no ano passado;
  • Quem obteve, em qualquer mês de 2017, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;
  • Quem teve, em 2017, receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 em atividade rural;
  • Quem tinha, até 31 de dezembro de 2017, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil;
  • Quem passou à condição de residente no Brasil em qualquer mês do ano passado e nessa condição encontrava-se em 31 de dezembro de 2017.
Quem optar pelo declaração simplificada abre mão de todas as deduções admitidas na legislação tributária, como aquelas por gastos com educação e saúde, mas tem direito a uma dedução de 20% do valor dos rendimentos tributáveis, limitada a R$ 16.754,34, mesmo valor do ano passado.

Como declarar?

Segundo o Fisco, a declaração pode ser elaborada de três formas:
  1. computador, por meio do Programa Gerador da Declaração (PGD) IRPF2018, disponível no site da Receita Federal do Brasil na internet;
  2. dispositivos móveis, tais como tablets e smartphones, por meio do serviço “Meu Imposto de Renda”, acessado pelo aplicativo “Meu Imposto de Renda”, disponível também a partir desta quinta-feira no Google play, para o sistema operacional Android, ou na App Store, para o sistema operacional iOS;
  3. computador, mediante acesso ao serviço “Meu Imposto de Renda”, disponível no Centro Virtual de Atendimento (e-CAC), com o uso de certificado digital, e que pode ser feito pelo contribuinte ou seu representante com procuração eletrônica.
Para a transmissão da declaração não é necessário instalar o programa de transmissão Receitanet, uma vez que essa funcionalidade está integrada ao programa do IR deste ano, informou o Fisco. Entretanto, continua sendo possível a utilização do Receitanet para a transmissão.

Não é mais permitida a entrega do IR via disquete nas agências do Banco do Brasil ou da Caixa Econômica Federal. A entrega do documento via formulário foi extinta em 2010.


Restituições

Os contribuintes que enviarem a declaração no início do prazo, sem erros, omissões ou inconsistências, receberão mais cedo as restituições do Imposto de Renda, se tiverem direito a ela. Idosos, portadores de doença grave e deficientes físicos ou mentais têm prioridade.

As restituições começarão a ser pagas em junho, e seguem até dezembro, para os contribuintes cujas declarações não caírem em malha fina.

Novidades na declaração do IR de 2018

Uma das novidades do Imposto de Renda neste ano é que serão exigidos CPF´s para dependentes incluídos na declaração com oito anos ou mais. Em 2017, o CPF havia passado a ser obrigatório para crianças a partir de 12 anos.

A redução da idade visa evitar que a declaração caia na malha fina, "possibilitando maior rapidez na restituição do crédito tributário", informou o Fisco.

A partir de 2019, a obrigatoriedade será para todos os dependentes, de qualquer idade.

De acordo com a Receita, o programa de declaração neste ano também vai pedir aos contribuintes mais dados sobre seus bens declarados, entre eles endereço de imóveis, sua matrícula, IPTU, e data de compra, além do número do Renavam de veículos.

O contribuinte, porém, não será obrigado a fornecer essas informações.

A partir deste ano também será possível retificar as declarações enviadas por meio de dispositivos móveis, como tablets e smartphones. Para isso, entretanto, é necessário que declaração original tenha sido enviada do mesmo aparelho.

Imposto a pagar

O contribuinte que tiver imposto a pagar poderá dividir o valor em até oito cotas mensais, mas nenhuma delas pode ser inferior a R$ 50.

A primeira cota, ou a única, deve ser paga até 30 de abril e, as demais, até o último dia útil de cada mês, acrescidas de juros.

O pagamento integral do imposto, ou de suas cotas e dos acréscimos legais, pode ser efetuado mediante: transferência eletrônica de fundos por meio de sistemas eletrônicos dos bancos; Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf), em qualquer agência bancária; ou débito automático em conta-corrente.
Fonte: G1

As incríveis esculturas de papelão de Monomi Ohno


A maioria das pessoas enxergam caixas de papelão apenas para a proteção ou segurança na hora de transportar as coisas.

Uma artista japonesa chamada Monomi Ohno, está encantando a internet mostrando que elas não servem apenas para armazenar as coisas, mas também para criar verdadeiras obras de arte depois de utilizá-las.

A artista está criando esculturas ricas em detalhes utilizando apenas papelão e cola, conseguindo fazer rifles, tanques de guerra, carros, personagens da cultura pop e até mesmo um tênis.

Nesse post você poderá conferir algumas das imagens das obras da artista para se inspirar. Confira!