Gráfica e Editora Moura Ramos: livros, revistas, embalagens, sacolas, agendas e impressos em geral.: Profissional de TI pede 200 mil dólares para resetar uma senha Google+

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Profissional de TI pede 200 mil dólares para resetar uma senha


Todo mundo já encontrou aquele técnico que cobrava um pouco mais do que deveria pelo serviço prestado. Nenhum, no entanto, deve ter ido tão fundo quanto o profissional de TI Triano Williams, que está cobrando US$ 200 mil para trocar uma senha.

Williams era funcionário da área de TI da American College of Education (ACE), uma universidade que oferecia cursos exclusivamente online nos Estados Unidos. No entanto, no ano passado, a empresa começou a demitir os trabalhadores do departamento de tecnologia, até que ele foi o único remanescente, mantendo-se como o único administrador do sistema.

O problema foi que, em abril, ao fim do ano letivo, ele também foi demitido. E, quando os cerca de 2.000 alunos retornaram às aulas, em maio, se viram incapazes de acessar seus e-mails e de participar de cursos porque Williams havia alterado a senha antes de deixar o seu cargo.

A empresa então tentou acessar a conta de administrador do Google do sistema de e-mails, mas não foi capaz, causando o bloqueio do acesso por muitas tentativas sem sucesso. A faculdade tentou conversar com o Google para procurar suporte, mas a companhia se recursou a dar acesso a qualquer pessoa que não fosse Triano Williams, que, mesmo demitido, ainda estava cadastrado como único administrador da conta.

E assim chegamos à situação atual. Os advogados da faculdade contataram Williams, que os direcionou diretamente aos seus representantes legais, que pedem US$ 200 mil e mais uma carta de recomendação para resolver o problema.

Em sua defesa, o profissional de TI alega que ele deu, sim, a senha para a universidade. Ele afirma que a senha foi automaticamente salva em um computador de trabalho que ele devolveu para a universidade ao deixar o emprego, e que o acesso foi perdido graças a erros da empresa. A faculdade, no entanto, alega que Williams apagou tudo que havia na máquina ao devolvê-la e ainda instalou outro sistema operacional.

O administrador também diz que os US$ 200 mil que ele pede são, na verdade, a oferta de um acordo para solucionar outro caso envolvendo as duas partes, em que Williams alega ter sido demitido por discriminação racial.

De qualquer forma, fica a lição: não subestime nem irrite um administrador de sistemas.